Eclipse - Stephenie Meyer

domingo, 27 de junho de 2010 - Postado por Isa Souza às 16:12

É, eu não ganhei nada desde o último post, *chora* hihi Mas comprei a série House of Night inteira no Submarino, rs

Eu tinha dado um tempo com a Saga Crepúsculo, mas como quarta é a estréia de Eclipse (*-----*), resolvi postar a resenha ^^


Depois da crise com Lua nova, no dia seguinte em que devolvi pra minha queridona amiga Ani (te amo minha fofa), peguei o Eclipse dela.
*Pausa*
Não, eu não comprei nenhum dos livros da Sra. Meyer ;) Erro, comprei sim, só o Crepúsculo, mas depois que li, dei pra Ani, que só não tinha esse. E também porque fiquei com o Lua nova dela por (longos) três meses :O
*Fim da pausa*


Eclipse – Stephenie Meyer
"Havia algo que Edward não queria que eu soubesse. Algo que Jacob não teria escondido de mim. Algo que pôs tanto os Cullen quanto os lobos no bosque, movendo-se juntos numa proximidade perigosa. (Algo que eu, de algum modo, esperava. Que eu sabia que aconteceria de novo, tanto quanto desejava que jamais acontecesse. Nunca teria um fim, teria?"
Enquanto Seattle é assolada por uma sequência de assassinatos misteriosos e uma vampira maligna continua em sua busca por vingança, Bella está cercada de outros perigos. Em meio a isso, ela é forçada a escolher entre seu amor por Edward e sua amizade com Jacob - uma opção que tem o potencial para reacender o conflito perene entre vampiros e lobisomens. Com a proximidade da formatura, Bella vive mais um dilema: vida ou morte. Mas o que representará cada uma dessas escolhas?
Por ter viajado para salvar Edward "dele mesmo", Charlie coloca Bella de castigo. Com os Cullen de volta, Jake não visita mais Bella, (Pequena explicação: Pra quem não sabe, não viu o filme, enfim é leiga (o) no tema Crepúsculo, os quileutes (lobos) e os Cullen (vampiros) tem um tratado de fronteiras, um não ia no 'pedaço' do outro ;)) e como ela não podia mais sair de casa...
Até que ele vai até a casa, mas com uma surpresinha –' O sem-vergonha na intenção de tentar separar o Edward e a Bella, contando sobre a moto ao Charlie.  Óbvio que ele fica furioso com a Bella e ela com o Jake.
Junto com a Bella também tive vontade de matar o Jake. Mas voltando,  de novo Bella corre risco de vida (Oh really?). Baita novidade né? Imã para problemas.
E vampiros e lobos, deixam suas rixas de lado e se unem pra salvar o imã. E dessa vez a coisa fica feia. Parey, se não vira spoiler.
Enfim, depois de Lua nova, eu estava meio traumatizada com a saga, e tinha jurado que se não gostasse de Eclipse, não ia ler de jeito nenhum Amanhecer e eis que... SURPRISE! AMEI!
Foram pequenas coisas que me fizeram amar esse livro. As piticas entre Jake e Edward, Jake ficando irritado por Edward ler sua mente, o lobinho Seth (ele é uma graça *---*). A parte em que Bella quase congela. Não, não estou sendo má. Não gosto dela, mas o que me fez gostar dessa parte foi uma certa conversa e implicâncias ;).
E nesse livro é que há o triangulo amoroso Edward – Bella – Jake. E no qual ela teve mais duvidas sobre suas decisões. A pensar realmente no que ela ia abdicar, ficando com Edward. E ver como seria a vida com Jake.

E foi nesse livro eu me apaixonei pelo Jake. Ele é tão bem-humorado, sarcástico, sem-vergonha e insistente, que eu me apaixonei. As partes que eu mais gostei, foi em grande parte por causa dele.
E como em uma passagem do livro ele disse que era a opção mais 'saudável' pra Bella, eu também acho isso. Porém, eu nunca torci pra que ela ficasse com ele. Na verdade eu queria ele era pra mim, mas isso não vem ao caso, rs.
Então, é isso. RECOMENDADISSIMO. O único problema, é que pra ler esse, você tem que ler os outros dois, pra entender os dramas existências da Bella, o amor dela e de Edward e conhecer, é claro, meu lobinho preferido.
I LOVE JAKE ♥, rs.
Mais uma coisinha, rs. Acho que todos já viram o Eclipse com capa Especial? É, sem sombra dúvida, a capa mais linda dos com a capa especial do filme. O único que me fez ter vontade de comprar :D


Beijos :D

Ella enfeitiçada - Gail Carson Levine

quarta-feira, 23 de junho de 2010 - Postado por Isa Souza às 15:10
Vou parar de falar das promos que eu ganho, pois as ameaças de quarentena estão aumentando, rs. Ganhei Irmãos Creed - Dylan, domingo no Viaje na Leitura :D  O começo dos meus posts são uma extensão do #momentoinvejinha que eu faço no colégio, em que eu levo meus livrinhos pro pessoal ver AUHSUAHS.
Mais uma das resenhas paradas e prontas a um bom tempo que acabo deixando salva e esqueço. O que é um pecado, porque esse livro é muito lindinho *---*

Ella enfeitiçada - Gail Carson Levine

A história de Ella enfeitiçada começa no dia do nascimento de uma jovem que recebe o "dom da obediência" de uma de suas fadas-madrinhas, a temperamental Lucinda. Infelizmente, o presente revela-se uma maldição, já que Ella passa a ser obrigada a fazer tudo que lhe ordenam, por mais perigosas que tais imposições possam ser. E o que é pior, não consegue nunca retardar o cumprimento da ordem por muito tempo. Mesmo poucos minutos significam uma luta desesperada. Pois bem, em vez de torná-la dócil o feitiço fez dela uma pessoa rebelde. A situação agrava-se depois que o pai da garota se casa com uma mulher cruel que tem duas filhas mimadas e dispostas a tudo para humilhar a nova irmã. Determinada a encontrar Lucinda e convencê-la a retirar o encantamento, Ella acaba conhecendo o jovem príncipe Charmont, que se apaixona pela moça.

Ella recebeu um dom diferente da fada Lucinda ao nascer: o dom da obediência. Enquanto ainda era criança, era até fácil. Ela obedecia somente a sua mãe, Lady Eleanor e a Mandy, a cozinheira da casa que era como uma avó para ela. Apesar desse dom, Ella era determinada e encontrava maneiras de “burlar” seu “dom”. Ela tentava ao máximo retardar a compulsão de obedecer uma ordem. Porém, ela começa a sentir falta de ar, tonturas e a compulsão a vence.

Por causa de dar um soco em uma “amiguinha” (merecido por sinal) a que ela contou sobre sua maldição e usou isso contra ela, sua mãe a proibiu de contar a alguém sobre o encanto. Como era uma ordem ela devia obedecer.

No velório de sua mãe, ela conhece pessoalmente o príncipe Charmont, ou como ele pediu para ela chamá-lo, Char ;). Ella diverte o príncipe, o faz rir e vira sua amiga. E depois disso a coisa fica realmente feia. Seu pai a manda para um colégio interno com as duas filhas de uma dama rica (que é interessada nele) e a filha mais velha descobre que ela, por algum motivo, obedece a tudo que lhe mandam.

Ao saber de um casamento da filha de uma gigante, Ella foge do colégio para ir até lá (pois em casamentos e nascimentos sempre há fadas presentes) com a esperança de encontrar Lucinda, pois era a única que podia desfazer o feitiço. Ella também podia quebrar o encanto sozinha, só precisava de uma situação que lhe desse forças para quebra-lo.

É um livro maravilhoso. Fadas, duendes, gigantes, gnomos, ogros que comem pessoas, sabem todos os segredos de uma pessoa só de olha-las e as encantam com a voz. É quase como Cinderella. Tem a madrasta, as duas irmãs (argh!), um pai que não se importa tanto com ela, a fada madrinha (que não é a Lucinda) e o príncipe Char *suspira*.

É um conto de fadas e é ótimo. Ella é muito espirituosa, corajosa. Ela obedece, porém tem jogos para driblar as ordens. É muito divertido. E não é como a Cinderella, que não dava o troco nas irmãs e madrasta, Ella dava um jeito de se vingar, mas sem deixar seu lado bom de lado. 

Tem também o filme do livro. Se chama Uma garota encantada e Anne Hathaway interpreta Ella. Já assisti a um bom tempo e lembro que gostei bastante. O motivo de Ella quebrar a maldição no filme e no livro são diferentes e gostei mais do motivo do filme. No filme, o príncipe Char viaja com Ella para encontrar a fada Lucinda, no livro não. Uma coisinha que eu lembrei vendo o trailer, Ella não luta desse jeito no livro não AUHSAUSH. Ops, informação importantérrima! O príncipe Char é o Hugh Dancy, que fez Luke Branon de Delírios de consumo de Becky Bloom. Gatenho!

Trailer {de novo sem legenda ¬¬}


Acho que o título seria melhor se fosse Ella encantada. Enfeitiçada não ficou tão legal =x 
Só mais uma coisinha, juro! ASHAU Adoreeei esse vídeo *-* (Não coloquei o vídeo no post porque senão iria ficar muito "lotado")

Beijos ;*

Melancia - Marian Keys

terça-feira, 15 de junho de 2010 - Postado por Isa Souza às 22:36
Oê! O post demorou mais chegou :D

Melancia estava aqui em casa parado porque eu estava numa de ebooks ;) Enfim larguei os ebooks e fui ler *-*

Melancia - Marian Keys


"Melancia" é um romance sobre a arte de manter o bom humor mesmo nos momentos mais adversos. Com 29 anos, uma filha recém-nascida e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais de gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal! Nada tendo em vista que a anime, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; a mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e o pai, à beira de um ataque de nervos. Após passar alguns dias em depressão, bebendo e chorando, Claire decide avaliar os prós e os contras de um casamento de três anos. É justamente nessa hora que James, seu ex-marido, reaparece. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa.

Claire é uma personagem apaixonante. A parte de se sentir uma melancia após ter a bebê. De se controlar quando devia soltar os cachorros, de soltar os cachorros quando não conseguia mais se controlar. Mesmo não tendo vivido algo parecido com a história de Claire, acabei me identificando com ela.

Claire foi traída, humilhada e abandonada quando mais precisava do marido, em um momento em que estava super vulnerável no mesmo dia em que teve sua bebê.

Lendo o que Claire conta no começo sobre James, como ele era perfeito e não entendia o porquê de ele tê-la abandonado, eu não consegui sentir raiva dele. Porém, com o passar de alguns capítulos e em ver como o FDP, como a Claire sempre o chamava, nem sinal de vida dava, nem mesmo para saber o nome da filha, eu fiquei possessa. Realmente com muita raiva.

Claire vai para a casa dos pais lamber as feridas, chora rios, e sofre feito condenada. Eu sofri com ela. Claire foi mais como uma lua e não uma melancia, pois passou por várias fases :D a de se sentir entorpecida, querer quebrar tudo, se levantar aos poucos e então, partir pra briga :D E é recompensada com ótimas surpresas. O livro todo é cheio de humor. Claire quase quebrando a casa porque viu os mocinhos da novela se beijando, Claire "pagando" as irmãs para ir comprar bebida pra ela, todos na casa com medo dela.

A família Walsh! Não podia deixar de falar da família da Claire. A mãe que não sabe cozinhar, o pai que limpa a casa, a irmã Helen, que é egocêntrica, franca e tem um séquito de apaixonados e Anna, a irmã zeeeen, que acredita em espíritos e é meio hippie. E também o jardineiro sinistro de 80 anos, Michael que era tratado a pão de ló pelos Walsh.

E tem outros livros das irmãs Walsh. E eu quero! :D São esses:

Férias - Rachel
Los Angeles – Margareth
Tem alguém aí? - Anna
(foi a Nanda do Viagem Literária que me passou a listinha, se estiver errado batam nela ok, rs)

A Marian ainda não escreveu a história da Helen, a irmã pentelha caçula. Aposto que vai ser hilária :D

Site da Marian www.mariankeyes.com

Ei! Alguém notou algo de diferente? Notaram? Éé, eu cortei o cabelo :P #brinks,rs
O que acharam do lay novo? *---* Melhor do que o de antes? Pior? Quero opiniões!

PS: Se o lay estiver dando erro, me avisem please. Tô morta de medo que dê problema agora que tá instalado o.O

A esposa virgem - Deborah Simmons

segunda-feira, 31 de maio de 2010 - Postado por Isa Souza às 04:42
Antes da resenha, como sempre eu conto as minhas news, o que aconteceu entre o último post e esse *-* Então, eu ganhei no domingo retrasado o livro Crepúsculo Vermelho no Libros, como eu tinha falado xD *pula* Pois na quarta, eis que eu abro o msn e logo sobe a janelinha dizendo que tinha um email novo. Já pensei "É email de corrente", que eu amo de paixão #not. E feliz, vejo que eu ganhei o livro "Feios" no blog da Carla, o Sonho de Reflexão xD Obrigada Carlinha (Deem uma passadinha no blog dela é muito tifofo ^^)  E  fiquei tão feliz que agora o meu wallpaper é o que eu eu baixei no site da série Feios que é lindo e ficou perfeito no meu monitor!
Epa, calma gente, tem mais!
Ontem de madrugada (sim, ontem. O dia só começa depois que eu durmo e acordo de novo, rs), recebo mais um email *-* dizendo que ganhei um pôster do livro "Aura Negra" autografado pela escritora Richelle Mead no Up! Brasil!!
Tipo assim gente: É o pôster AUTOGRAFADO pela autora! Chique né? Eu vou ler esse livro. Não sei quando, mas vou xD E vou morrer de ciúme quando chegarem todos esses prêmios.
Ok, nada de querer me matar tá. Estou AMANDO essas duas semanas em que a sorte não está só sorrindo pra mim, está mostrando os dentes, rs. Continue assim sorte querida xD
Tá bem, parei de falar na minha sorte, senão ninguém vai querer continuar a ler, rs.
Ah, e os selinhos que eu tenho ganhado, já peguei todos ^^ Logo, logo posto.
Agora sobre a resenha ^^ 

Essa resenha foi feita especialmente para a Maratona de Anta (kkk adorei o nome) do blog Doida y Romântica da Carla Blackhawk. O objetivo era ler um livro que estivesse encalhado, rs, em papel ou ebook mesmo. E DETALHE!, virei uma DIVA! rs
Como meus únicos livrinhos de papel encalhados foram sequestrados pela amiga da minha mãe (EU QUERO ELES DE VOLTA!), resolvi escolher A esposa virgem.

Ele é segundo livro da série De Laci da Tia Deb. O primeiro Bodas de fogo, eu já li a um bom tempo e fui até ameaçada por causa do livro, rs. Baixei o ebook de A esposa virgem dizendo que ia ler. Resultado: Esqueci dele. Perdi metade dos meus ebooks quando o PC foi formatado e nem olhei mais a outra metade, e fui lendo apenas os últimos que baixava e esqueci dos que estavam no PC #topera ¬¬

A esposa virgem - Deborah Simmons


Ele queria vingança. Ela ansiava por paixão.

Bretanha, Idade Média.

Sophie Hexham ficou desapontada com o desinteresse de Nicholas de Laci em fazer-lhe companhia no leito nupcial... É que Nicholas, obrigado a se casar, por ordem do rei, com a sobrinha de seu maior inimigo, jurara vingar-se fazendo-a sofrer. Mas Sophie sabia como conquistar o coração do marido de uma maneira que jamais imaginara!

Nicholas queria vingança por tudo que Hexham o fez passar, quase te-lo matado e pelo tanto. Porém, seu cunhado, Piers, o tinha matado no primeiro livro, quando ele ameaçou a vida da irmã dele, Aisley (Isadora em Bodas de fogo). Nick passou a viver frustrado por não ter conseguido se vingar. Até que uma noticia lhe dá novo animo. Hexham tinha uma sobrinha que morava em um convento e por ordem do Rei, ele teria que se casar com ela e unir as propriedades.

E lá foi ele, planejando se vingar na sobrinha que ele esperava que fosse uma mulher feia, velha e submissa. Chegando lá, encontra Sophie, linda, jovem e corajosa. O que não combinava em nada com a freira reprimida que ele havia imaginado. E logo ele se viu lutando contra a ideia de não mais se vingar.

Sophie é uma das mocinhas mais porretas que eu já vi/li. Mesmo Nick brigando com ela e dizendo que ela não pode fazer tal coisa, ela faz.

Mesmo Nicholas sendo um turrão, Sophie mostrou que quando queria algo, ela conseguia, rs. E faz o frio e indiferente senhor de Belvry, enfim sentir emoções diferentes do ódio, emoções bem mais saudáveis ;)

São váááárias partes engraçadas. O final então, simplesmente hilário. É um livro pra ler e reler muuuitas vezes. Teve uma parte que me emocionou *cry*. Nick cuidando de Sophie quando ela fica doente. Own é lindo *-*

Pra finalizar, uma parte muito engraçada que mostra a mudança do Nick depois de Sophie. Isso acontece quando Piers e Aisley (Isadora em Bodas de fogo²) visitam o casal de pombinhos.

[...] Juntou-se ao marido à porta do salão e parou estarrecida ao ouvir uma gritaria infernal.

- O que será? - perguntou, virando-se para Piers.

- Parece a voz de seu irmão - respondeu ele.

- Nicholas? Não. Ele jamais levantou a voz - Aisley disse.

[...]

Determinada a descobrir o que se passava, Aisley entrou no salão, mas ficou atônita com a cena. Não estava enganada. A silhueta alta e de cabelos escuros era a do irmão.

Nicholas perseguia alguém, correndo ao redor da mesa. Uma mulher! Tanto quanto se lembrava, ele nunca tinha sentido nada por uma, exceto desdém. Entretanto, corria atrás daquela como se estivesse possesso. Enquanto olhava, o irmão, que jamais tinha levantado a mão, num gesto de raiva ou de afeto, agarrou a mulher e a jogou no ombro como se fosse um saco de cereais.

Ela e Piers aproximaram-se e, só então, Nicholas os viu. Aisley estranhou-lhe a expressão de surpresa, a primeira emoção, além de ódio, que ele exibia em anos. Na verdade, a presença deles parecia deixá-lo sem fala. A mulher dava-lhe pontapés e o esmurrava nas costas.

- Pare com isso! - Nicholas aconselhou por sobre o ombro.

Voltou a fitá-los e Aisley teve certeza de que ele estava embaraçado. Nicholas, o indiferente? Teve de morder o lábio para não sorrir.

- Aisley? Piers? O que os traz aqui? - indagou ele admirado.

Ao ouvir-lhe a voz, a mulher aquietou-se, mas ele não explicou sua posição.
- Problemas com uma criada insubordinada? - indagou Piers.

- O que? Ah, não. Esta é minha mulher.[...]

Imaginem eu lendo isso no ônibus. Mico total né? Rs.
Enfim, leiam! É muito bom. Recomendo ler o primeiro antes ^^

Beijos.

UP: O final também é hilário, só não falei com medo de soltar spoiler, rs.

Pipoca&Brigadeiro - Escritores da Liberdade

terça-feira, 25 de maio de 2010 - Postado por Isa Souza às 05:27
Pensem em uma pessoa felizona, rs. Soy yo!
Domingo ganhei Crepúsculo Vermelho da Laura Elias no Libros di Amore, e fiquei pulando feito doida na sala. Nisso resolvi colocar essa resenha XD
"Mas na terça Isa? Você não ganhou no domingo?"
Minha internet está uma coisa de doido e doida! Vou acabar benzendo meu modem, rs
Escritores da Liberdade
Nas páginas de diários de alunos que vivem em meio ao caos urbano por causa da discriminação racial e pré-conceitos, uma professora idealista, Erin Gruwell (Hilary Swank) tenta mudar o ambiente na sala-de-aula, não ensinando somente o conteúdo de uma matéria específica, mas também tenta lecionar lições de vida a seus alunos, que aprendem com ela, como ser cidadão.
Mas para concretizar seus planos, terá que revolucionar o ambiente escolar, e para isso, terá que passar por cima da burocrática e conservadora diretora da escola, Margaret Campbell (Imelda Staunton) e abrir mão de sua vida pessoal para com seu marido Scott Casey (Patrick Dempsey).
O filme trata da violência e disputas entre gangues na região de Long Beach, Los Angeles. Baseado em fatos reais, a história se passa em 1994 ( eu tinha um aninho o.O). Negros, asiáticos e latinos, como eram designados e divididos. Os brancos, sob perspectiva deles, eram os donos de tudo, mandavam e faziam o que queriam.
Em uma visão superficial do filme, a professora é vista como personagem principal, porém os alunos e suas histórias são o verdadeiro enfoque.
Comparando seus preconceitos com os princípios nazistas, a professora os faz ver quão parecido era o que eles faziam do Holocausto. Mostrando também como poderiam tornar-se pessoas melhores e mais confiantes em si mesmos, focando em um objetivo maior e melhor.
Um filme emocionante e profundo, cheio de lições de vida.
(Essa resenha é na verdade um trabalho em que eu deveria analisar o filme, que já foi entregue e a professora me devolveu, tirei nota máxima #meachei ^^)
Para eles, era matar ou morrer, vários tinham perdido amigos, parentes por causa da guerra entre gangues.
O enfoque é mesmo nas histórias dos alunos, uma mais sofrida que a outra. Porém, quem vem pra socorrê-los, é a professora. Falei ali em cima do Holocausto, né? Uma coisa que eu realmente amei, é que no filme a professora coloca eles pra lerem O diário de Anne Frank *-* e eu amo esse livro.
*Comentário rápido*
Minha professora, a Dani, perguntou quem tinha lido, somente eu e mais duas pessoas, numa sala de 26 alunos, tinham lido. PUTZ, fiquei indignada. CARA!, é Anne Frank! Tá, carmei, rs.
*Fim do comentário*
E o melhor de tudo, isso tudo aconteceu de verdade! É lindo mesmo, eu recomendo. 
 Erin Gruwell com seus alunos e Hilary Swank
Patrick Dempsey faz o marido da professora. Nem vou dizer o que achei dele ¬¬ Já disse tudo né? rs
Cotação no Filmow
Trailer
Um filme muito bonito xD Recomendo.

Beijos ^^

Lua nova - Stephenie Meyer

sexta-feira, 14 de maio de 2010 - Postado por Isa Souza às 10:10
Continuando a saga Carmapúsculo Crepúsculo

Depois de ler Crepúsculo (clique aqui para ler a resenha) peguei emprestado Lua nova de uma amiga e não tinha ideia de como era o livro. Dessa vez não tinha ido atrás de spoilers (um vício do mau, ficar vendo o fim antes de começar ¬¬).

Lua nova - Stephenie Meyer



Para Bella Swan, há uma coisa mais importante do que a própria vida: Edward Cullen. Mas estar apaixonada por um vampiro é ainda mais perigoso do que ela poderia ter imaginado. Edward já resgatara Bella das garras de um mostro cruel, mas agora, quando o relacionamento ousado do casal ameaça tudo o que lhes é próximo e querido, eles percebem que seus problemas podem estar apenas começando...
Legiões de leitores que ficara em em transe com o best-seller "Crepúsculo" estão ávidos pela sequência da história de amor de Bella e Edward. Em "Lua nova", Stephenie Meyer nos dá outra combinação irresistível de romance e suspense com um toque sobrenatural. Apaixonante e cheia de reviravoltas surpreendentes, essa saga de amor e vampiros segue rumo à imortalidade literária.
Tudo começou ás mil maravilhas, Bella e Edward tendo até beijos no começo (coisa um tanto rara em Crepúsculo), quando, na festa aniversário de Bella, ela se corta e Jasper avança para ela. Edward entra em parafuso, e acha que deve abandonar Bella para sua segurança.
*Momento Surtada!*
QUAL É?! A garota é um imã pra problemas, com você ou sem você!!
*Fim do surto*
Esse livro foi uma crise ENORME. Quando, Edward em seu momento 'altruísta', deixou a Srta. Bella 'tapada' Swan, eu larguei o livro. Simples assim. Só voltei a pegar ele porque queria chegar logo ao Amanhecer, e porque queria ver o filme (que até agora não vi).
Continuando. Enquanto Edward sofre de um lado, tendo que deixar o imã e ir embora, ela fica catatônica, feito zumbi, sem querer saber de mais nada. Mesmo tentando disfarçar para que seu pai, Charlie, não perceba que está sofrendo, ela não consegue.
Até que aparece o salvador da Bella, Jacob (JAKEE!). E a anima e faz voltar a vida, pelo menos um pouco.
*Momento Confessionário*
Eu não gostei taaaanto do Jake em Lua nova, mais amo ele do mesmo jeito ^^ 
*Fim do Momento Confessionário*

Quando fazia coisas idiotas e perigosas, Bella ouvia a voz de Edward a repreendendo. Imaginem só, se 'sem a intenção' de fazer coisas idiotas, ela já faz...
Numa dessas coisas idiotas&perigosas ela resolve comprar duas motos pro Jake arrumar. E ai que a coisa desanda.
Detalhe: Charlie tem horror a motos.
Por causa de um mal entendido, Edward pensa que Bella morreu e vai para a Itália pedir para que os Volturi o mate, pois não queria viver sem a Bella.
Enfim... Não gostei mais de Lua nova que Crepúsculo. Bão mesmo é o Jake ^^ E o livro sem o Edward perde um pouco a graça, porque só tem Bella, Bella, Bella. Blá, blá, blá, rs. E o Jake, o que quer dizer que não é tãao sem graça, rs.
Uma parte que gostei muito foi Alice e Jake, um reclamando do cheiro do outro. Jake acha o cheiro deles doce demais e insuportável. Alice diz que ele cheira a cachorro molhado. Simplesmente hilário.
Se quiserem saber mais, leiam, rs. Passando daqui é spoiler.
Recomendo.
PS: Postagem seriamente modificada pois já li Eclipse e Amanhecer, então, já tenho meus preferidos ¬¬

Pipoca&Brigadeiro - Homem de Ferro 2

segunda-feira, 10 de maio de 2010 - Postado por Isa Souza às 05:46
Depois de ver Alice no País das Maravilhas, fiquei andando mais de uma hora e meia pelo shopping, com meu amigo, cobiçando livros *-* tomando sorvete, comendo, enfim, engordando, antes de chegar a hora da segunda sessão. ^^

Homem de ferro 2


No filme "Homem de Ferro 2", o mundo já sabe que o inventor bilionário Tony Stark (Robert Downey Jr.) é o super-herói blindado Homem de Ferro. Sofrendo pressão do governo, da mídia e do público para compartilhar sua tecnologia com as forças armadas, Tony reluta em divulgar os segredos por trás da armadura do Homem de Ferro, temendo que as informações caiam em mãos erradas. Tendo Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) e James "Rhodey" Rhodes (Don Cheadle) a seu lado, Tony estabelece novas alianças e enfrenta novas e poderosas forças.

Depois de no final do primeiro filme, ele mandar um 'Tô nem ai, eu sou mesmo o Homem de ferro', Tony que não é nada tímido, esta do jeito que gosta: com toda a atenção voltada para si. Seja da população, da mídia e até do governo. Que queria que as armaduras do Tony, ficassem sob o autoridade do "governo" (sacaram a marmelada ai né?), porque era muito poder na mão dele, e ele não poderia fazer sempre a paz.
Tony Stark é um personagem que você pode amar e odiar ao mesmo tempo. Tudo bem que por estar morrendo (ISSO NÃO É SPOILER TÁ. É no começo do filme que acontece/aparece, rs), ele surta e ai vira o maior idiota da terra. Ele é sarcástico, egocêntrico, maluco, mas é um herói. Meu tipo de herói favorito, em que a gente tem vontade de matar, que considero muito melhor, do que um que é todo bonzinho. Deixa ele mais humano.

Muito mais humor que no primeiro filme, eu fui as gargalhadas e fiquei sem ar, algumas vezes. Humor sutil, com diálogos rápidos e interessantes e cheio de sarcasmo #adoro.

Gwyneth, divina nesse filme e com maior destaque, continua como Pepper, a babá e consciência do Tony, porém com menos paciência. O que é bem normal, porque ele extrapola mesmo.



Vi comentários de que a Scarlett Johansson foi apenas um símbolo sexual no filme. CARA! A mulher tava poderosa demais! Atuou pra caramba, gostei demais. Pois eu não achei (: Mania de achar que só porque ela aparece bem sexy no filme, não é nada além disso ¬¬

Tony x Rhodes (melhor amigo dele), hilário XD O Rhodes no Homem de Ferro 1, é feito pelo Terrence Howard (August Rush), no 2 é o Don Cheadle (Hotel Ruanda).

E a mãozinha de robô, que Tony sempre ameaçava de ir pra sucata, permaneceu no segundo filme. E eu gosto dela, rs.


Mickey Rourke e Robert Downey Jr, geniais! O vilão de Mickey foi WOOW! Muito inteligente e tudo mais. Robert, bem, meu xodó né. AMADOREI ele. Dois atores que mesmo desacreditados (por causa de drogas e álcool) deram um SHOW!

Pra quem diz que eu só gosto de romance, vou dizer, A-M-E-I as explosões, cenas de luta. Foi muito foda legal mesmo!

Cotação no Filmow

Trailer


Só sei que sai do cinema com uma sensação de UAAAAAAU!, rs.

Pra mim foi perfeito, a única coisa ruim é que eu bóio em Universo Marvel, quadrinhos e tal, então pode ter coisas que escaparam sem eu perceber.

Enfim, gostei mais que do primeiro (não tem jeito, eu sempre comparo) e o Homem de ferro, decididamente, é meu super herói favorito (:

Recadinho pra quem for ver: NÃO SAIAM DO CINEMA ANTES DE TERMINAR OS CRÉDITOS! TEM EXTRAS! HAHA Só pra não esquecer tá. Eu sai ¬¬, mas vi depois no youtube, rs.

Beijos. XD

Pipoca&Brigadeiro - Alice no País das Maravilhas

quinta-feira, 6 de maio de 2010 - Postado por Isa Souza às 15:15
Sessão Dupla no cinema xD
Fica aqui a prova. Matei curso e aula pra ver ir no cinema, rs. E valeu a pena. TOTALMENTE!
Alice no País das Maravilhas

Alice, agora aos 19 anos, está em uma festa da nobreza em Oxford, onde vive, até que descobre que está prestes a ser pedida em casamento. Desesperada, ela foge seguindo um coelho branco, e vai parar no P visitou quando tinha seis anos mas não se lembrava mais. Onde é saudada pelo Coelho Branco, a Rata, o Dodô, Tweedledee e Tweedledum e várias flores falantes. Eles discutem sobre a sua identidade como "A verdadeira Alice", que matará o Jabberwocky e derrubará a Rainha Vermelha no Glorian Day devolvendo o poder á Rainha Branca.
Primeira sessão, corri pra poder comprar os ingressos. Quase que não dá tempo o.O Como eu não gosto de comer pipoca fora de casa (gruda no dente, bla, bla, bla), comprei meu Doritos e a coca e lá fomos nós XD
Pra quem não sabe, nesse filme Alice segue o coelho, pra fugir de uma proposta de casamento de um horroroso que por ser nobre, todos esperavam que ela aceitasse *corre*. E assim, vai parar no País das Maravilhas. Achei lindos os efeitos, em 3D então, pirei, rs. A rainha vermelha (Helena Bonham Carter) é hilária com aquele baita cabeção, rs. E sempre gritava 'Cortem as cabeças!'. Acho que ela tinha algum complexo, rs. Helena Bonham Carter foi quem melhor atuou na minha opinião. Achei genial.
A figura da Rainha Branca (Anne Hathaway), governante deposta pela irmã, toda branca, com as sobrancelhas pretas é mais sinistro que o cabeção da Rainha Vermelha. O modo de andar e gesticular dela, é que foi bem estranho e eu não gostei.


Johnny Deep como o Chapeleiro foi bom XD, meio fanho, bem maluquinho, rs. Porém, ele já fez, com toda certeza melhores atuações. O Chapeleiro me lembrou Willy Wonka, com seu olhar, em alguns momentos, vago. Enfim, Jack Sparrow continua sendo meu personagem preferido dele.
Mia Wasikowska, ahn, é, hum. Bem, poderiam ter escolhido uma Alice melhor. Não foi algo carismático. Achei ela bem sem sal.
Personagens 'secundários' me agradaram mais que os prinicipais, que foram o gato, sumindo e desaparecendo XD. A lebre, que é muito mais pirado que todos, só que aparece pouco no filme. Os gêmeos Tweedledee e Tweedledum (Matthew Richard Lucas) sempre brigando e discutindo que um falou isso ou aquilo. A lagarta Absolem que vivia fumando, super 'doidona', parecendo que não falava coisa com coisa. Adorei a voz da lagarta. Detalhe: é O lagarta, rs.


Algumas coisas achei desnecessárias, mas se eu contar vira spoiler. #mecontrolomecontrolo ^^
#FATO o 3D compensa muito, é tudo muito lindo. O cenário perfeito, e a trilha sonora também.
Uma única palavra: Rebolation. Quem assistir vai entender, rs.
Cotação no Filmow (super alta)
Trailer

Assisti também Homem de ferro 2 (Êêêêêê!), só que como ia ficar muito grande, sábado eu coloco a resenha dele *-*
Beijos ^^

Pipoca&Brigadeiro - A orfã

terça-feira, 4 de maio de 2010 - Postado por Isa Souza às 12:50
Eu disse que o próximo Pipoca ia ser tenebroso, não disse? *medo*
Pois bem, sabe Deus o porquê de eu ter visto esse filme. Acho que não tinha nada pra fazer (err, not).
O fato é que, uma pessoa muuuuuito medrosa que nem eu, não deve ver um filme desses. A minha sorte, é que eu vi em casa, e não no cinema, então os efeitos foram menores.
Agora gente, olha a cara dessa menina. Prestando bem atenção, não é de dar medo? *arrepia*
 
A orfã

 
John (Peter Sarsgaard) e Kate (Vera Farmiga) passam por uma tragédia na família. A perda de um de seus filhos faz com que, embora ainda tenham outros dois - Daniel (Jimmy Bennett) e Maxine (Aryana Engineer) -, resolvam procurar ajuda de um orfanato a fim de adotar mais uma criança. Mesmo depois de alertados das dificuldades de se adotar crianças já crescidas, a aparente maturidade e carisma de Esther (Isabelle Fuhrman) os conquista.

Kate perdeu o bebê ainda quando estava grávida e mesmo tendo dois filhos, Danny e a Max, (a fofa ai do lado que no filme é surda, achei ela tão lindinha *-*), sente a necessidade de mais um filho. Assim ela e o marido, John, resolveram adotar uma criança. Chegando no orfanato veem uma menina pintando uma tela, um lindo trabalho. Esther os cativou, ainda mais com as recomendações da Madre Superiora de que era uma ótima menina, perfeita alias. Com todo o carisma, mesmo sendo uma criança já crescida, Esther os conquista e é adotada por eles.

O que eu disse de ser uma criança perfeita, ocorre até certo ponto. Esther cria uma forte amizade com Max, ao aprender rapidamente libras, enquanto seu irmão Danny, ainda não entende direito. Conquista também a John. Danny, por ciúmes não gosta dela. Já Kate, apesar do grande desejo de acolher Esther, sente reservas depois de um tempo de convívio.

Logo vão aparecendo indícios de que Esther, não é assim tão perfeita. E a frase ‘Há algo errado com Esther’ passa a fazer todo o sentido. E o mistério que envolve Esther, também é surpreendente.

Posso dizer com toda certeza, que foi o filme que mais me deu medo até hoje. Vou dizer o porquê. Eu não vejo muitos filmes de terror/suspense. Então, nem tem como eu ter visto filmes piores. Nem mesmo Jogos mortais (qualquer um deles), me deu tanto medo. Juro, durante meia-hora depois que o filme acabou eu ainda estava tremendo. No final do filme, eu fiquei meio estática, impactada.

Deixando de lado sustos e medos, a atuação da atriz que faz a Esther, Isabelle Fuhrman, foi incrível. O filme todo é genial. Sensacional. Há uma tensão, em todo o filme. A capa, já me fez sentir um arrepio. Você sente vontade de surrar a Esther em alguns momentos, que não são poucos. E por outro lado, uma grande simpatia pela Max.

Recomendo. Totalmente. Até para os medrosos. Um filme inteligente e que te faz ficar embasbacada. É muito bom mesmo.

Cotação no Filmow
Trailer



Beijos ^^

Crepúsculo - Stephenie Meyer

sábado, 24 de abril de 2010 - Postado por Isa Souza às 09:04
Saga Crepúsculo ou Carmapúsculo?

Começando a ler essa série, pois era minha intenção terminá-la (mesmo que na marra), a minha impressão era essa saga iria ser um carma na minha vida. Era muita gente falando mal. Amigas (virtuais) que me recomendaram livros ótimos, que tinham gostos bem parecidos com os meus. E também, muitas amigas (do real, por assim dizer) falando que amaram, essas que eu não levava muito a sério, por seus gostos por leituras serem TÃO diferentes dos meus. Ou seja, já estava com um pé atrás. Mas eram TANTOS comentários, que eu decidi ver (ler) por mim mesma e ver se tão bom ou tão ruim como diziam.
Crepúsculo – Stephenie Meyer
''Crepúsculo'' poderia ser como qualquer outra história não fosse um elemento irresistível: o objeto da paixão da protagonista é um vampiro. Assim, soma-se à paixão um perigo sobrenatural temperado com muito suspense, e o resultado é uma leitura de tirar o fôlego - um romance repleto das angústias e incertezas da juventude - o arrebatamento, a atração, a ansiedade que antecede cada palavra, cada gesto, e todos os medos. Isabella Swan chega à nublada e chuvosa cidadezinha de Forks - último lugar onde gostaria de viver. Tenta se adaptar à vida provinciana na qual aparentemente todos se conhecem, lidar com sua constrangedora falta de coordenação motora e se habituar a morar com um pai com quem nunca conviveu. Em seu destino está Edward Cullen.
Ele é lindo, perfeito, misterioso e, à primeira vista, hostil à presença de Bella o que provoca nela uma inquietação desconcertante. Ela se apaixona. Ele, no melhor estilo "amor proibido", alerta: Sou um risco para você. Ela é uma garota incomum. Ele é um vampiro. Ela precisa aprender a controlar seu corpo quando ele a toca. Ele, a controlar sua sede pelo sangue dela. Em meio a descobertas e sobressaltos, Edward é, sim, perigoso: um perigo que qualquer mulher escolheria correr.
Nesse universo fantasioso, os personagens construídos por Stephenie Meyer - humanos ou não - se mostram de tal forma familiares em seus dilemas e seu comportamento que o sobrenatural parece real. Meyer torna perfeitamente plausível - e irresistível - a paixão de uma garota de 17 anos por um vampiro encantador.
 Esse eu li em tempo razoável, não me demorei nele, mas também não devorei como já fiz algumas vezes com outros.
A história trata mais de Bella descobrindo que Edward é um vampiro e aprendendo a conviver com isso, pois já estava perdidamente apaixonada. E Edward, a controlar sua sede do sangue de Bella, maior que pelo sangue de outros humanos, e também com a impossibilidade de ler a mente de Bella. E em tentar fazer ela ficar viva, pois Bella é o desastre em pessoa. Acho que qualquer bala perdida a acharia. :x
E por fim a perseguição de James a Bella, que por representar um desafio com aquela penca de vampiro pra protegê-la, tornou-se uma presa muito desejável.
Bella, de quem eu já não gostei no filme (A Kristen, que me desculpem as Crespuletes, não tem expressão!), pareceu ainda mais tonta, porque tudo bem que Edward parece um deus grego, mas qual é? Garota, se ele ta com você é porque te ama! E sem falar que ela é muito anti-social. Eu gostei das tiradas sarcásticas dela, pequenas frases bem humoradas (mesmo que de humor negro). Quem me conhece sabe que eu adoro um sarcarmo, rs, no BOM sentido. Mas continua sendo tonta.
Outro que me chamou a atenção, foi o Jasper. No livro ele é calado, então nem tem grande enfoque, mas com o filme eu me encantei. Ao contrário de Alice, sua parceira, que é viva e espevitada e chama atenção tanto no filme como no livro.
Jacob tem um pequeno enfoque no livro (minha opinião), por mim ele teria mais espaço. Ele foi visto pela Bella mais como uma fonte de informações.
Como em vários comentários que já ouvi por ai, é verdade a Stephenie viaja mesmo. Vampiros que brilham? Mas eu gostei. Criativo.
Eu gostei da escrita da autora. Rápida. Chega até a ser um pouco viciante. Pitadas de humor, ação, amor meloso ('eu te amo', 'Não, eu te amo mais' *meu lado cínico falando*), enfim, num todo, uma leitura muito agradável.
Às tifofas (e tifofos) que não gostam de vampiros, lobisomens e afins eu não recomendo a leitura.
Aos que gostam de uma fantasia, viajar um pouco, recomendo ^^

Pipoca&Brigadeiro - Kate & Leopold

sábado, 3 de abril de 2010 - Postado por Isa Souza às 17:07
Olá pessoas *-*

Quinta fui no show do Victor e Léo. E como hoje eu estou bem animada, pois descobri que as férias (de julho, looooonge) vão ser de um mês inteiro, e ainda mais que vou no show do Luan Santana amanhã (EBAAAA), vou contar como foi o show e falar de um filme muuito gostoso que eu vi hoje *-*
Foi MUITO BOM! Eles não cantaram Chuva de bruxaria que eu A-DO-RO, mas tá super valendo.
Estou rouca total! Sai de lá morrendo de inveja, rs.
Sabe o sapo da foto? Eles chamaram a horrorosa SORTUDA que jogou o sapo no palco pra ir no camarim. Deu ódiozinho sabe? Rs. 
Babação de ovo - Gente, o Victor não é um tifofo? Eu acho ele um charme ^^ e ainda por cima, compõe músicas tão lindas *-*

O show foi ótimo, mas o ponto alto da noite, foi, com toda certeza, minha mãe no Kamikaze, gritando e quase chorando e eu morrendo de dar risada do 'desespero' dela. Calma, gente. Ela é nova tá? 35 aninhos só, quase uma adolescente, rs. Mas foi super engraçado. Hilário na verdade.
Amanhã, show do Luan Santana. Tô parecendo obsessiva né?

Vamos ao filme :D
No último Pipoca&Brigadeiro, eu falei de um filme com o Hugh Jackman. Pois bem, ele virou meu vício *-*
Assisti Kate & Leopold (de novo). Eu já tinha visto uma vez, quando minha mãe foi atormentada pra locar o filme pra mim, rs. E ele por coincidência apareceu aqui em casa emprestado de uma colega da mamy ;)
Perfeito! Por que não aparece um Leopold na minha vida? POR QUÊ? Eu não ia reclamar nem um pouquinho!
A história começa quando o meio (?) maluco do ex-noivo da Kate (que mora no andar debaixo do dela), descobre uma brecha no tempo e vai para o século 19, de onde Leopold o segue. Ele sendo um perfeito faz a Kate ficar toda desconfiada, afinal não se veem homens que nem ele por ai, não é? Ain, o que eu posso dizer é que o filme é muito tifofo. Sério. Vale a pena ver, se eu continuar vou acabar entregando algumas partes *-*

Babação de ovo: Ele é muito gato, bão demais né? *respira* 




Sinopse
Kate McKay (Meg Ryan) é uma moderna e bem-sucedida executiva do mundo moderno. Ela é a ex-namorada de Stuart (Liev Schreiber), um cientista que descobre um portal dimensional que transporta para os dias atuais, acidentalmente, seu tataravô Leopold (Hugh Jackman), um nobre do século 19. Ainda sem saber como mandá-lo de volta ao seu tempo, Leopold tem agora que enfrentar as mudanças radicais existentes entre a época em que vivia e o século 21. Mas, com o passar do tempo, Kate e Leopold acabam se envolvendo romanticamente.

Cotação no Filmow

Trailer (de novo só achei o trailer sem legenda ¬¬)


Bem, já falei demais hihi, é que eu tô animada e juntei dois posts num só HAHA
Aos que não são chegados em romances, rs, o próximo Pipoca vai ter um filme de meter medo!
Beijo, me twitta.
@IsabelaSouz

Pipoca&Brigadeiro - Alguém como você

domingo, 28 de março de 2010 - Postado por Isa Souza às 10:17
Vi semanas atrás o filme Alguém como você, com o Hugh 'Perdição' Jackson e Asheley Judd.

É um filme que só me chamou a atenção porque tinha ele no elenco hihi, que se revela  é um safado. Mas como é o Hugh eu perdoo (; . Ele aparece com várias no decorrer do filme. E ela sofre um moooonte por causa de outro.

Sabe aquele dia de chuva em que você quer ver um filminho bem gostoso debaixo da coberta? Esse filme é uma boa pedida.

Sinopse

Baseado no romance de Laura Zigman, esta comédia romântica é centrada em Jane Goodale (Ashley Judd), produtora de um programa de entrevistas que perde o namorado (Greg Kinnear) subitamente. Depois do rompimento, Jane começa a desenvolver a tese de que o comportamento dos homens está diretamente relacionado com a vida selvagem, que padrões similares existem em ambos. Ela estuda a tendência animal de não ser confiável e compara os homens a touros, cachorros e outras criaturas. Para provar sua teoria, ela usa como cobaia seu colega Eddie (Hugh Jackman), que se encaixa em todos os padrões. Enquanto aplica seus estudos em Eddie, ela ganha exposição na mídia e vira uma sensação.

Cotação no Filmow 

Trailer (O único que eu achei não é legendado ¬¬)
 
Pra fechar com chave de ouro, o print que eu tirei dessa DILIÇA! 
ABAFA!


Beijos, me twitta XD